Foi com o objetivo expresso de desenvolvimento de uma política de habitação que permitisse “favorecer a promoção do investimento nos territórios do interior, bem como o investimento na requalificação urbana, no património cultural, nas atividades de alto valor ambiental ou social, no investimento produtivo e na criação de emprego”, que o Governo aprovou recentemente o Decreto-Lei n.º 14/2021, de 12 de Fevereiro, procedendo, assim, à revisão do regime jurídico de autorização de residência para atividade de investimento (Golden Visa), em vigor desde 2012 e previsto no artigo 90.º-A da Lei n.º 23/2007, de 4 de julho.

Da análise desta revisão, resultam claros os dois grandes pontos de intervenção, como sendo, a limitação geográfica dos investimentos em ativos imobiliários para habitação e o aumento dos montantes mínimos das atividades de investimento elegíveis.

Senão vejamos:

ATIVIDADES DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

No âmbito do investimento em ativos imobiliário, o montante do investimento mantém-se inalterado, fixando-se na opção de aquisição no mínimo de €500.000,00 ou de aquisição e reabilitação no mínimo de €350.000,00.

A grande novidade deste novo regime surge na hipótese de investimento imobiliário para habitação que fica, assim, condicionada aos imóveis localizados nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira ou nos territórios do interior, devidamente identificados na Portaria n.º 208/2017, de 13 de julho.

Essa limitação geográfica não será aplicável às hipóteses em que o imóvel se destine a serviços, comércio, empreendimento turístico, etc. Noutros termos, para fins não habitacionais, continuará a ser possível o investimento imobiliário em qualquer região do país.

AUMENTO DOS MONTANTES MÍNIMOS DE INVESTIMENTO

  • Transferências de capitais – de €1.000.000,00 para montante igual ou superior a €1.500.000,00;
  • Transferência de capitais para aquisição de unidades de participação de fundos de investimento ou fundo de capital de risco vocacionados para a capitalização de empresas, que sejam constituídas ao abrigo da legislação portuguesa, cuja maturidade, no momento do investimento, seja de, pelo menos, cinco anos e, pelo menos, 60% do valor dos investimentos seja concretizado em sociedades comerciais sediadas em território nacional – de €350.000,00 para montante igual ou superior a €500.000,00;
  • Transferência de capitais para aplicação em atividades de investigação desenvolvidas por instituições públicas ou privadas de investigação científica, integradas no sistema científico e tecnológico nacional – de €350.000,00 para um montante igual ou superior a €500.000,00;
  • Transferência de capital para constituição de sociedade comercial com sede em território nacional, combinada com a criação de cinco postos de trabalho permanentes, ou para reforço de capital social de uma sociedade comercial com sede em território nacional já existente, com a criação ou manutenção de postos de trabalho permanentes, com um mínimo de cinco postos de trabalho permanentes, e por um período mínimo de três anos – de €350.000,00 para montante igual ou superior a €500.000,00.

ENTRADA EM VIGOR

As alterações ora conhecidas e publicadas entram em vigor a 1º de janeiro de 2022.

Assim, as últimas candidaturas Golden Visa cujo processamento se dará nos termos do regime atual serão as submetidas até 31 de dezembro de 2021.

Start typing and press Enter to search